Se você pensa que HIV e AIDS tem remédio, "tem sim", entretanto "é para o resto de sua vida".

"HERPES ZOSTER"









"A HERPES ZOSTER é muito menos conhecida do que a doença mais comum, mas causa transtornos incomensuráveis. O mal, conhecido popularmente como cobreiro, ocorre quando o vírus causador da catapora "acorda", anos depois da infecção inicial"

A coceira e a dor nas costas da empresária Rosane(nome fictício), 29 anos, apareceram de repente, dois ou três dias antes de as lesões na pele, sintoma mais conhecido da herpes zoster, se tornarem visíveis. Ao receber o diagnóstico, o susto foi inevitável. A doença ainda é pouco conhecida e mal interpretada. As feridas são realmente muito feias e existe um preconceito velado em relação a essa infecção. Quando falava que estava com o problema, algumas pessoas me olhavam com receio, relata.

Conhecida por leigos como cobreiro, a herpes zoster é uma doença oportunista. Pouca gente sabe, mas o mal é resultado da reativação do vírus varicela-zóster, causador da popular catapora, e é bem mais grave do que as pequenas lesões provocadas pelo herpes simplex, aquelas pequenas bolhas que afetam as mucosas na herpes mais comum. Depois de causar a infestação da catapora, o varicela-zoster é disseminado por meio do fluxo sanguíneo e permanece adormecido nas raízes nervosas da medula espinhal ou do crânio. Anos mais tarde, em um momento de baixa da imunidade, ele ataca novamente o organismo.

O médico infectologista do Hospital Anchieta Tarquino Gavilanes Sanchez explica que a herpes zoster é mais comum em indivíduos acima dos 50 anos. Quanto mais velha é a pessoa, mais grave costuma ser a manifestação dos sintomas, mas jovens e adolescentes também são vítimas.

A dor intensa compromete áreas como os ombros, as regiões cervical, torácica e lombossacra ou o rosto e é entendida pelos médicos como um aviso da doença. As feridas surgem em questão de dias e acometem a porção da pele cuja sensibilidade depende dos nervos afetados. Elas aparecem somente em um lado do corpo, exatamente no segmento nervoso no qual o vírus estava latente. É como se as ulcerações seguissem o caminho do nervo, observa o especialista.

Alguns doentes também relatam mal-estar, arrepios, febre, náuseas e diarreia antes que as lesões agrupadas se formem na derme. Não se sabe exatamente quantas pessoas são surpreendidas pela herpes zoster no Brasil. Nos Estados Unidos, o mal acomete cerca de 1 milhão de pessoas por ano. O problema é mais frequente em pacientes imunodeprimidos. Estudos sugerem que, nessas pessoas, a incidência é 15 vezes maior do que em pacientes que não apresentam imunossupressão constante. A herpes zoster é uma das patologias que aproveitam a fragilidade de pacientes portadores do HIV com deficiência do sistema imunológico instalada. Na verdade, ela é uma das primeiras infecções que afetam indivíduos com o vírus da AIDS. Por isso, o preconceito, avalia Sanchez.

"O infectologista, porém, faz questão de lembrar: Pacientes com HIV estão no grupo de risco, mas nem de longe isso significa que a herpes zoster seja exclusividade deles".

A empresária Rosane, por exemplo, não é portadora do HIV. A infecção ocorreu em um período de intenso desgaste emocional, fator gatilho para a baixa imunidade. Uma grande ferida se instalou no lado esquerdo das costas. Senti tanta dor que não conseguia me movimentar, lembra. O tratamento é feito com fármacos antivirais eficazes contra o vírus ministrados por via oral ou intravenosa. As drogas não curam a doença, mas encurtam sua manifestação e aliviam os sintomas. Uma crise de herpes zoster costuma imunizar a pessoa, mas 5% dos pacientes apresentarão novos episódios.

As lesões podem deixar cicatrizes na pele, mas são as complicações decorrentes da infecção que mais preocupam os especialistas. A nevralgia pós-herpética é a mais comum, atingindo de 10% a 18% dos pacientes em geral. De acordo com o neurocirurgião Tiago Freitas, a idade avançada, a intensidade da dor aguda durante a fase das vesículas, a gravidade das lesões e a alteração sensitiva na área acometida por elas são fatores que indicam a possibilidade da nevralgia. Estudos de biópsia de pele em humanos mostram que os pacientes que desenvolveram essa complicação apresentavam maior degeneração das fibras finas envolvidas com a sensibilidade, dano provocado pelo vírus, revela.

O quadro clínico da neuralgia pós-herpética consiste em dor, geralmente intensa, localizada na área acometida pela lesão mesmo após sua cicatrização. Tiago observa que os pacientes relatam um desconforto semelhante ao provocado por queimaduras, formigamento, choque ou pontadas. A dor pode piorar com a alteração das emoções, mudanças no clima ou com a estimulação física de determinados tecidos sobre a região. Quando a neuralgia está instalada, o tratamento inicial é feito com analgésicos, antidepressivos e anticonvulsivantes. Em alguns casos, lançamos mão de bloqueios anestésicos de nervos e procedimentos neurocirúrgicos. Abordagens psicológicas associadas são importantes, devido ao sofrimento causado pelo transtorno, explica o neurocirurgião.

O aposentado Aramil Carlos Pinto, 72 anos, foi surpreendido pela herpes zoster em 2009. As feridas cicatrizaram, mas a dor não o deixou mais em paz. Não tínhamos conhecimento dessa doença. Quando imaginávamos que meu pai estava recuperado das feridas, veio a dor crônica. Nunca vi tamanho sofrimento. Ele chorava de dor e não conseguia dormir, porque ela irradiava do peito para as costas. Não havia posição que aliviasse o martírio, conta Luismar Carlos Pinto, filho do aposentado. Aramil passou por uma pequena cirurgia que tratou o nervo afetado. Hoje, ele está muito bem. Mas não foi fácil encontrar um médico que tratasse o problema, lembra Luismar.

O mesmo aconteceu com a dona de casa Olívia de Abreu Sirineu, 57 anos. No caso dela, a herpes zoster atingiu o olho esquerdo. O diagnóstico não foi feito nem mesmo depois que apareceram as ulcerações. Moro no interior de Goiás. O médico me olhou e disse para eu procurar um oftalmologista. Vim para Brasília e procurei vários, mas nenhum conseguiu descobrir o que eu tinha. Quando eu já estava perdendo as esperanças, um clínico geral fez o diagnóstico. Sofri demais, conta. As feridas secaram e deixaram as sequelas no nervo trigêmeo, o que causa dor e ardência constante. Na semana passada, consultei um neurocirurgião, que está avaliando a possibilidade de uma cirurgia ou de um tratamento mais conservador, diz.

"Vacina para idosos"

Uma vacina contra a herpes zoster recomendada para adultos com mais de 60 anos foi aprovada em 2006 pela US Food and Drug Administration (FDA), agência norte-americana de alimentação e medicamentos. Estudos clínicos do laboratório fabricante comprovaram a redução de cerca de 50% na incidência da doença em pessoas vacinadas. Ainda assim, menos de 7% do público alvo faz a imunização. Em janeiro, uma nova pesquisa conduzida por um plano de saúde nos Estados Unidos foi publicada no The Journal of the American Medical Association (Jama). Para os cientistas envolvidos, o trabalho reforçou a eficiência da droga.

Os pesquisadores estudaram 300 mil pessoas. Dessas, 75 mil foram vacinadas e 225 mil não. Concluímos que a vacinação reduz em 55% o risco de infecção. Também descobrimos que a vacina funciona para todas as idades, enquanto o ensaio do próprio laboratório atestava a eficiência apenas nos idosos, revelou ao Correio o cientista e epidemiologista Hung Fu Tseng, coordenador do estudo. A substância está disponível no Brasil somente no sistema privado de saúde.

FONTE: CORREIO BRAZILIENSE - DF - SAÚDE

35 comentários:

Anônimo disse...

tenho 26 anos e a pouco menos de 03 semanas apresentei um quadro de herpes-zoster, minha sorte foi que descobri logo no início, de primeiro ahei que fosse rins, pois estava com uma dor constante e já havia aparecido pequenas bolinhas que coçavam bastante e doia um pouco.Logo que fiz a ultrasson e contatei que não era rins logo associei ao herpes, pois uma prima que trabalha comigo havia comentado se não seria herpes, mas eu leiga nem me toquei.Como descobri de imediato tomei o anti-viral e outros remédios.Para minha sorte não cheguei a abrir as feridas, mas as 04 mínimas bolinhas que nem chegaram a se romper quase me mataram de dor. Nem conseguia me movimentar.Por não ter saído as temidas feridas, algumas pessoas da minha família achava que eu não tinha não, só eu e Deus sabemos o que sofri.No momento já voltei ao trabalho,estou quase 100 % ,as vezes sinto muita sensibilidade na área afetada mas em relação ao que sofri estou bem melhor.Tive também muitos gastos com remédios, o anti-viral é bem caro, mas graças a Deus pude comprar e hoje estou me recuperando rápido.Essa é uma doença que não desejo a ninguém, pois é muito ruim.Um abraço! Ana Carolina

Alexandre disse...

Oi Ana. Eu sei exatamente como são os efeitos do Herpes zoster, até porque eu também tive, na verdade ainda tenho sequelas da mesma pois no meu caso a causa foi o HIV.

Só como comentário, a medicação pode ser retirada gratuitamente na rede pública, dê uma verificada na sua cidade, claro, se ainda for necessário tomá-la, ok?

Um grande abraço e obrigado pelo depoimento.

Anônimo disse...

Oi ale como vai?
Sou a Ana Carolina do comentário de cima , do herpes zoster.
Ale, ápós eu ler sobre o herpes no seu blogger, me assutei um pouco com o que estava escrito, lá diz que um dos primeiros sintomas do hiv herpes zoster.Fiquei com medo , pois sempre tive vontade de fazer o teste , mas como muitos tive medo do resutado. Como estou realizando alguns exames pré-operatórios resolvi pedir o médico que me passasse o exame anti hiv.
O pedido foi de sorologia anti hiv.
e o resultado foi o seguinte

RESULTADO: Amostra Negativa para HIV
Validade: 25/11/2011
Material: Sangue
Método : Quimioluminescencia -ABBOTT
Pesquisa do Antigeno Viral HIV 1: P24
Pesquisa de Anticorpos para os Antigenos
Virais:
- HIV 1: ENV GP41, GAG P24 e Prot.
Recombinante do Subtipo "O"
- HIV 2: ENV GP36

ale, posso confiar neste resultado?
Teria necessidade de realizar outro após 30 dias?

aguardo anciosa sua resposta.
Um abraço.
Ana Carolina

Anônimo disse...

Olá, Sou Marcos Sousa. Tenho 28 anos e há 5 dias estou com esses sintomas, há dois dias fui à dermatologista e ela diagnosticou a HZ (herpes-zóster), é claro que estou muito confuso e com muito medo, comecei a tomar os remédios ontem. Em mim, se manifestou na lateral esquerda de meu corpo, altura da cintura para coxa com um pouco para dentro da coxa e próximo à virilha também, o que me dificulta andar.
E como disse um amigo internauta, o medicamento prescrito pra mim, Aciclovir, peguei no posto de saúde gratuitamente. Só gastei com a pomada antibiótica e um outro remédio pra dor (+-60,00). Não tive febre e nem tenho dores fortes, sinto um formigamento intenso e ainda não apresento coceira. Estou afastado do trabalho, pois sou professor. Escrevo somente para desabafo e para compartilhar essas informações com vocês, pois também estou assustado.
Escreverei aqui para vocês, meu progresso, que espero ser curto e prático.
Abraço,
Marcos / Guarulhos

Alexandre disse...

Oi Marcos. Obrigado pelo seu depoimento e fique a vontade sempre que quiser usar este espaço. Siga seu tratamento corretamente e sempre com orientação médica, ok?

Um abraço e desejo sua pronta recuperação!

Anônimo disse...

Marcos souza, o médico não lhe receitou o anti- viral?
Se não receitou volte nele, pois se não as feridas vão abrir em seu corpo e vc vai sofrer muito.
Agora Alê, você poderia me responder sobre meu exame.
Um abraço
Ana Carolina

Alexandre disse...

Oi Ana. Peço desculpas pois acabei "pulando" a sua pergunta. Bem, esse teste que você realizou mostra que você não tem HIV, mas o médico que o prescreveu já viu o laudo do teste? Se não viu, leve para o mesmo lhe dar seu parecer especializado, pois é ele quem está acompanhando seu prontuário médico e vai lhe dizer se é um resultado definitivo ou se é necessário repeti-lo, ok?

Abs

Anônimo disse...

Olá, estou de volta para comentar meu 3o. dia de tratamento. Respondendo a pergunta da amiga Ana: não. Minha dermatologista não me passou nenhum anti-viral (eu acho). Passo uma pomada antibiótica (dermacerium) e estou tomando o Aciclovir (10 por dia) e mais um para amenizar a dor (mas só qdo aparece, pois não sinto).
Hoje, quando acordei notei que está desaparecendo mais. O vermelhão acabou e os pontinhos (bolhinhas menores) estão secando. As maiores, que foram as primeiras a aparecer estão murchando. Embora, notei que apareceu ainda uma vermelhidão pequena num outro ponto do corpo, já passei a pomada. O formigamento aumentou um pouco, acho que é o efeito de tudo... Estou mais calmo hoje em relação a ontem, pois fiquei muito assustado com a chuva de informações. Por enquanto é isso. Abraços e obrigado pelas infos e pela oportunidade de podermos compartilhar nossas experiências.
Marcos (msousa.jor@gmail.com)

Alexandre disse...

Marcos, siga o tratamento que sua médica prescreveu e como sugestão: Evite ficar pesquisando na internet, pois você terá acesso a muitas informações desencontradas que só irão deixá-lo confuso. A sua melhor fonte de informação É SUA MÉDICA, que já o diagnosticou e prescreveu o tratamento correto.

Abs

Anônimo disse...

OLÁ ALEXANDRE ! HÁ UM TEMPO ATRÁS EU TIVE UM CONTATO DE RISCO E ESPEREI 16 DIAS PRA FAZER O TESTE DE HIV QUE DEU NEGATIVO; PORÉM ACABEI FAZENDO OUTRO COM 50 DIAS PRA VER SE ME ACALMAVA POIS O STRESS ERA GRANDE , NO SEGUNDO TESTE TUDO OK TAMBÉM E ENTÃO POR UM TEMPO RERLAXEI UM POUCO MAS AGORA ME APARECE UMA HERPES ZOSTER E O MEU PSICOLÓGICO FOI EMBORA NOVAMENTE !! ESTOU MUITO MAL , ACHANDO QUE POSSO TER O V´RUS E O EXAME NÃO TER PEGO E TAL.... O QUE FAÇO MEU AMIGO ? SABE SE A HERPES PODE DAR EM ALGUÉM COM 35 ANOS ? É NORMAL ? FIZ HEMOGRAMA E DEU TUDO OK ..ISSO NÃO SIGNIFICA QUE MINHA IMUNIDADE ESTÁ BOA ENTÃO ? ENTÃO COMO PODE APARECER UMA COISA DESSAS ? SERÁ STRESS ? OBRIGADO SE PUDERES ME DAR UMA LUZ.....

LUCIANO

Alexandre disse...

Oi Luciano. Leia a matéria novamente e preste atenção na parte em "amarelo", onde o médico explica que a herpes zoster NÃO se manifesta apenas em quem tem hiv, e o principal motivo é a "queda da imunidade das pessoas, independente de ter hiv ou não, até porque TODAS as doenças se manifestam exatamente porque a nossa imunidade cai, seja soro+ ou não".

Para você acabar de vez com sua preocupação, procure um infectologista e ouça a sua opinião especializada sobre o assunto, pois somente assim voc~e poderá ter um diagnóstico claro, coreto e definitivo, ok?

Abs

Anônimo disse...

oi, estou contou com os sintomas de herpes zoster, a dor começou há uns tres dias, mas hoje apareceram pequenas protuberancias sobre o meu seio, bem na regiao dolorida. Como não vou conseguir um dermatologista no fim de semana, comecei a tomar o aciclovir e a usar a pomada...melhor me cuidar... eu consegui fazer o dianostico por eu ser dentista e ter estudado muito muito sobre isto na faculdade. Mas estou por fora da medicação...devo usar corticoide e citoneuri também?
Fernanda

Alexandre disse...

Oi Fernanda, como "eu" não sou médico não posso, não devo e nem tenho conhecimento para lhe indicar medicamentos.

O que posso lhe sugerir é que tente entrar em contato com um(a) especialista (que até pode ser um colega seu de profissão) para ter certeza do diagnóstico e qual a medicação "correta" a ser utilizada, pois você sabe que um diagnóstico/tratamento equivocados podem complicar o quadro.

Abs

Anônimo disse...

De fato as informações desse post me ajudaram muito. Procurei informações em outros sites e por mais que fossem bastante detalhados, não continham relatos de pessoas em que esse vírus havia se manifestado. Muito obrigada.

Alexandre disse...

Obrigado pela confiança e pelas palavras.

Abraços

Anonimo disse...

Olá tenho 28 anos e tive HZ em 2009, estava sobrecarregado no meu trabalho e no auge do stress.
Comecei a sentir dores que iam das costas até o meu peito esquerdo, no começo achei q tinha dormido mal e eram dores musculares mas os dias foram passando e dor só aumentando. Notei q na região onde doía estavam surgindo bolhas muito parecidas com brotoeja, mas em questão de dias infestou e dor era insuportável, fiquei fraco, não conseguia usar camisa pois encomodava, não dormia e quando dormia era sentado. O vento que batia doía, foi tão forte que até pra andar tive dificuldade.Era noite de Réveillon e lá estava eu atras de pronto socorro! Fui medicado por um médico que tbm já havia tido HZ e me deu um prazo de 15 dias +ou- para passar mas graças a Deus em 3 dias passou. Hoje estou relatando aqui pois só quem teve HZ sabe a dor que é, estou um pouco preocupado pois já alguns dias tenho notado dores e sensibilidade na mesma região que foi afetada anteriormente. Peço a Deus que não seja HZ pois ninguém merece passar por tanto sofrimento 2 vezes!

Alexandre disse...

Obrigado pelo seu depoimento. Eu até hoje e "às vezes" sinto pequenas dores e sensibilidade no local onde tive o Herpes, principalmente quando há "mudança brusca no tempo", inclusive as "marcas/cicatrizes" se tornaram definitivas. Mas apesar do incômodo, são totalmente suportáveis. Lembrando que tive o herpes no ano de 2000.

Abs

Anônimo disse...

Oi Alexandre tudo bem.. tenho 23 anos e tenho os sintomas a mais de uma semana da HZ.. ontem foi confirmado o diagnóstico, de primeira me abalou muito, pois minha mãe também teve o ano passado, e no caso dela foi bem complicado porque atacou o corpo inteiro do lado esquerdo, e fiquei com medo, mas, através do seu blog me informei melhor e agora estou um pouco mais tranquila, porém dói bastante e no meu caso tenho a sensação de queimadura no local.. bom, é isso, obrigada pela informação.

Alexandre disse...

Oi, tudo bem obrigado e você? Essa doença é dolorosa mesmo, mas tente "desviar" a atenção da dor não ficando parada e só pensando nela, pois fazendo isso acabamos tendo a sensação que a dor, a queimação é maior. Siga todas as orientações médicas que aos poucos você se sentirá mais aliviada.

Anônimo disse...

Olá, sou adolescente de 16 anos, a aproximadamente umas 3 semana tive hz, tomei todos os remédios, as bolhas saíram e deram início as crostas que também já saíram, ficando as marcas e a pele sensível, posso ir a praia? é embaixo dos seios, nem praia, mas piora a vermelhidão se eu pegar sol? e pode voltar com o sol? tive por imunidade baixa e essas marcas depois a pele volta a cor normal? . ABÇ. CL

Alexandre disse...

Olá CL. Como é recente eu sugiro que você por enquanto evite ficar exposta ao Sol porque o herpes ainda não está totalmente curado/cicatrizado, podendo causar irritações e incômodos. O Sol não é a causa do herpes, portanto não causaria uma recaída. Quanto as marcas na pele depende do organismo de cada pessoa. Eu por exemplo a tive a mais de 10 anos e ainda hoje tenho as marcas e sensibilidade no local. Converse a respeito com o(a) médico(a) que a acompanhou para ter respostas corretas e especializadas.

Abs

Anônimo disse...

Entendi, mas água salgada e o cloro de piscina não influenciam? mesmo que eu tome banho a noite, fora do sol? Irei conversar mais com a médica, mas no momento ela está de férias, chego a ficar nervosa com essas marcas que não saem e torcendo para q isso não volte nunca mais, é uma das doenças mais dolorosas que tive. Agradeço desde já. CL

Alexandre disse...

CL, como "leigo" e porque também tive o mesmo problema, eu acredito que: "Se as feridas já estão totalmente cicatrizadas não há problemas". Mas como você disse que é recente, sugiro mais uma vez que você evite essas exposições, e não esqueça de conversar muito com sua médica assim, que possível, ok?

Abs

Anônimo disse...


Olá, Alexandre. Tive herpes no olho em julho do ano passado(não sei se a zoster ou não, mas parece que o oftalmologista sugeriu isso). Sugeriu que eu fizesse o exame de HIV.Tinha feito exame em janeiro, respeitando a janela imunológica de 3 meses. Porém houve relação de risco enre o último exame e a crise, de onde vem minha preocupação. Aguardo o resultado do exame esta semana, mas não consigo deixar de pensar que a herpes ocular é um sinal de aids. Esta
afirmação é correta?
Obrigado !

Alexandre disse...

Anônimo, a herpes zoster "pode" estar ligada (ou não) a infecção pelo HIV, portanto não adianta você ficar "precipitando os fatos antes que os mesmos estejam devidamente esclarecidos através do teste de HIV". Aguarde o resultado, antes do mesmo tudo não passa de "suposições e achismos".

BRUNO RODOLFO disse...

Olá Alexandre.

Primeiro quero te parabenizar pelo blog. Faz 3 anos que descobri minha sorologia + e seus textos e informações têm me ajudado muito.
Bom.... tenho uma dúvida... a verdade é que estou um pouco assustada. Meus últimos exames de CD4 e Carga Viral foram feitos em Dezembro/2012... o Resultado foi CD4 780 e C.V 9.000! Ainda não tomo medicação. Porém, semana passada, após uma crise forte de garganta... fui a um médico. (não contei da minha "situação") ele disse que a "inflamação" na verdade era um vírus "Herpes" que provavelmente, minha imunidade estaria baixissima. Me aconselhou a fazer o teste HIV. Minha dúvida é....as Células de defesa caem em um curto intervalo de tempo assim mesmo? O fato de ser Herpes, seria uma indicação para iniciar o tratamento com a medicação antirretroviral? Herpes pode realmente se desenvolver na garganta? Isso é muito sério? Querido, desculpa tantas perguntas, estou um pouco (muito) assustada, e só consegui marcar consulta com minha Infecto para daqui a quase 1 mês. Muito Obrigada pela Atenção. Aguardo sua Resposta.

Alexandre disse...

Oi.

Bem, não sei onde você realiza seu tratamento, mas independente de ser "público ou particular", EXIJA que seus exames sejam feitos no máximo de "3 EM 3 MESES", isso é OBRIGAÇÃO deles, certo?

Pode ser ("pode") que esta herpes tenha se manifestado por causa de uma "suposta ou provável" imunidade baixa, e nos casos que isso acontece é comum ser dessa maneira.

"Por isso é tão importante que os exames de monitoramento (cd4/carga viral, etc) sejam feitos em menos tempo(intervalo) possível, "ainda mais para quem não toma a medicação, porque na realidade o hiv está "livre" e sem nada para combater sua multiplicação, ok?

Veja, qualquer doença pode se tornar séria, até as mais simples, "desde que não seja tratada corretamente", e o fato de você ser portadora do hiv "sem estar se tratando com os antirretrovirais", pode acarretar uma queda das suas defesas (cd4) e aumento da carga viral, afetando/diminuindo a sua imunidade e deixando-a exposta a manifestação de doenças.

Portanto A SUA MÉDICA INFECTOLOGISTA deve ser informada do ocorrido E TEM A OBRIGAÇÃO de adiantar sua consulta para EXAMINÁ-LA PESSOALMENTE e orientá-la sobre a necessidade de iniciar o tratamento antirretroviral ou não.

Não há necessidade de você ficar assustada, o que você precisa e deve fazer é ficar brava e EXIGIR que sua médica a atenda corretamente, exatamente para evitar/precaver esse tipo de transtôrno que é totalmente evitável.

Se necessário, QUEBRE O PAU MESMO, porque e apesar da pessoa portadora do vírus ter todas as condições de viver sua vida normalmente, para isso também é necessário que O(A) MÉDICO(A) fique de olho no vírus e sem lhe oferecer brechas para incomodar.

Abraços.

luiz disse...

TENHO 34 ANOS .. A MUITOS ANOS NAO SOFRO NENHUMA EXPOSICAO DE RISCO AO HIV.. DESENVOLVI A HERPES ZOSTER.. POR UMA SERIE DE VIAGEM ACABEI FICANDO MUITOS DIAS SEM COMER DIREITO DORMINDO POUCO E MUITO ESTRESSADO .. MINHA IMUNIDADE CAIU MUITO .. O FATO DE A IMUNIDADE ESTAR MUITO BAIXA PODE ALTERAR O EXAME HIV ..

Alexandre disse...

Luiz, na minha VISÃO LEIGA o fato da sua imunidade estar baixa NÃO influencia o resultado do teste de HIV. Porém e como sempre insisto aqui no Blog, procure um(a) médico(a) especialista para receber as respostas concretas e corretas.

Viviane disse...

Olá Alexandre,
pelo que ando pesquisando em alguns depoimentos de portadores do Herpes Zoster o quadro parece se estabilizar e eles apresentam melhora. No entanto, minha mãe (47 anos) é portadora mas os sintomas são muito mais complexos. Ela passou da fase de dor e incômodo para um quadro onde relata "coisas" se mexendo dentro do corpo, na área afetada. Não dorme direito e acaba personificando o vírus. É um quadro já de problema psicológico também, pois ela fica tentando tirar com as mãos "o que tem dentro dela" que causa os movimentos estranhos. Diz que formam argolas no braço dela, garras de ferro, "minhocas" andando. É muito deprimente este quadro, pois ela era uma pessoal normal antes do Herpes. Sendo assim, gostaria de saber se esse quadro de "alucinação" é normal de acontecer ou se o tratamento dela foi tão tardio que chegou a este extremo. O que sabemos também é que não há cura. Ela ficaria com essas alucinações para sempre?
Obrigada e aguardo ajuda de quem puder nos auxiliar!

Alexandre disse...

Oi Viviane. Eu como tenho o herpes zoster há muitos anos entendo o que sua mãe sente, e os incômodos ora tem um alívio, ora voltam a "doer, queimar" e algumas vezes vem esta sensação de "algo se mexendo". Eu sugiro à você que procure um infectologista ou um neurologista para analisar o caso da sua mãe, e este profissional certamente irá analisar o que está ocorrendo, e até (se for o caso) encaminhá-la paralelamente a um psiquiatra para verificar as causas dessas alucinações.

Abraços

Dayane Mestiça disse...

Olá Alexandre! Semana passada apareceram umas bolinhas tipo espinha em mim,começou a coçar muito...foi aumentando aumentando e meu médico diagnosticou herpes zoster . Li muito sobre isso, mas no meu caso coça mais do que dói! Existe fase da doença? Quantos dias levam para cicatrizarem e parar de coçar tanto.?obrigada

Alexandre Gonçalves de Souza disse...

Oi Dayane. É difícil afirmar isso sem ser médico e sem ter conhecimento do seu "histórico de saúde", por isso eu sugiro que você converse com seu médico a respeito, pois como tudo referente a saúde, cada organismo reage de forma diferente. Eu poderia lhe dizer como o "meu organismo reagiu ao herpes zóster, que tenho até hoje", mas como sempre digo por aqui NUNCA podemos fazer comparações pelo motivo acima (cada organismo reage de forma diferente). O que posso lhe dizer com sinceridade é que tenha paciência porque essa doença incomoda mesmo, mas é superável.

Abs

Anônimo disse...

Oiiiiiiii meu nome é Adriane e à dez dias fui diagnostica com herpes zoster,tbm to sofrendo muita dor,tudo que li ate agora fecha com o que estou sentindo,tbm estou fazendo o tratamento com todos esses medicamento.
Mas hoje um amigo me disse que eu deveria fazer o teste hiv,e desde então estou surtada com a ideia mesmo não fazendo parte do grupo de risco,e só de imaginar parece que minhas feridas estão aumentando..
Segunda feira irei para o posto de saude novamente,estou muito preocupada.

Alexandre Gonçalves de Souza disse...

Adriane, esqueça o "ouvi dizer", mude seu conceito porque "grupos de risco não existem" já que o HIV A AIDS E AS DST podem ser adquiridas por QUALQUER PESSOA, e principalmente pelas que têm VIDA SEXUAL ATIVA. Converse com o médico que está monitorando o tratamento do Herpes Zoster, e peça ao mesmo que prescreva e acompanhe a realização do TESTE DE HIV "POR PRECAUÇÃO", pois essa doença NÃO É EXCLUSIVAMENTE CAUSADA PELO HIV, mas PRECAUÇÃO E PREVENÇÃO não custa nada e ainda tira idéias erradas da cabeça, certo?